A abrir a segunda fase da liga BPI, o Benfica tem como adversário o Torreense de Nuno Cristóvão, que orientou a treinadora do Benfica, enquanto jogadora. Para Filipa Patão, o intenso ciclo de jogos não poder servir de desculpa. “Estamos bem preparadas, apesar do pouco tempo de recuperação. Tivemos quatro jogos em nove dias. É natural que no último jogo, mesmo em termos de capacidade física, as jogadoras não estivessem a cem por cento, mas assumimos as coisas, sabemos que somos o Benfica e temos de estar preparadas para isto, e queremos isto. Quantos mais jogos tivermos, é sinal de que as coisas estão a acontecer, os campeonatos a decorrer, as Taças a ser disputadas e cada vez mais estão a procurar no futebol feminino ter a mesma perspetiva que no masculino, ao nível do número de competições, cada vez mais próximo do profissional”, disse Filipa Patão à BTV.

Perdida a final da Taça de Portugal para o Braga, a meio da semana, Patão espelha confiança para a liga. “Quanto à fase final, muito trabalho, muito rigor, muita dedicação da parte de todas. Estamos focadas, confiantes e penso que o trabalho que temos feito vai ser recompensado no final. A partir de agora não há margem de erro, é uma fase final, onde todas as equipas vão estar a disputar tudo o que ambicionaram ao longo da época, que é serem campeãs nacionais. Estamos aqui numa missão muito importante, há que continuar a valorizar o trabalho que temos feito e fazer com que esse trabalho se reflita cada vez mais nos resultados finais. Temos vindo a preparar a equipa nestas três semanas de trabalho e agora vamos ver cada vez mais as jogadoras habituadas ao sistema e às dinâmicas pretendidas”, referiu a treinadora das águias, satisfeita com o grupo de trabalho.

“Estou orgulhosa do trabalho que elas têm feito e, principalmente, com a postura que têm tido. Apesar de todas as adversidades, encararam as coisas de frente, sem desculpas, sem esconderijos. Assumiram as responsabilidades e perceberam que têm aqui uma camisola que têm de representar em todos os momentos. Claro que ficámos tristes, claro que queríamos ter trazido a Taça para a nossa casa, não foi possível, e foi um momento de aprendizagem, que vai servir para evoluirmos. O erro vai sempre servir para melhorarmos, corrigirmos o que tivermos de corrigir”, sublinhou.

O Benfica Campus é o palco da receção ao Torreense, a partir das 15h00 deste domingo.

Foto: SL Benfica

Deixe um comentário!