Campeãs finlandesas fecham o plantel com a contratação de Jaleca

O Åland United, que já acertara a transferência de Catarina Realista, do Fut. Benfica, concretiza o reforço de outra portuguesa para jogar a Champions

No espaço de apenas um ano, passo a passo, Mariana Jaleca competiu em três países diferentes até chegar à UWCL, a Liga dos Campeões feminina, na sua quarta paragem. A aventura na Champions tem data marcada para 18 de agosto, mas até lá Jaleca chega com estatuto de último reforço para a equipa do Åland United para 2021, apenas dias depois de o mesmo clube ter anunciado a chegada de uma outra jogadora portuguesa – Catarina Realista, que representava o Futebol Benfica. Afinal, não haverá uma portuguesa no campeão finlandês…mas sim duas.

Mariana Jaleca, natural de Setúbal, iniciou cedo o seu percurso ao nível de clubes em Portugal, destacando-se ao serviço de Quintajense e Estoril de tal maneira que chegou à Seleção Nacional feminina sub16 para depois decidir atravessar o Atlântico. Assim, completou o seu percurso académico a disputar o campeonato universitário dos EUA ao serviço da universidade de Saint Francis, na qual completou três temporadas antes de regressar ao nosso país para realizar a primeira fase da Liga BPI ao serviço do Damaiense.

A talentosa jogadora não necessitou de meia época no campeonato luso para voltar a emigrar, tendo acertado a transferência para a Série B de Itália e mais concretamente para o Orobica Bergamo, onde Jaleca uma vez mais demonstrou qualidade e…voltou a fazer viagem: as suas capacidades ofensivas impressionaram o Åland United, que esta primavera inicia a sua temporada oficial e decidiu garantir o seu concurso para deleite do seu técnico, Steve Beeks, que manteve as suas peças nucleares e ainda recebeu Mariana Jaleca como o reforço que dá por encerrado o plantel para a época que se avizinha.

Jaleca voltará a representar Portugal no quarto país na sua carreira até ao momento

Junto do Lado F, Mariana Jaleca deu conta do seu entusiasmo nos dias que antecedem os primeiros treinos ao serviço do seu novo clube e estrear-se oficialmente no seguimento a uma curta, mas proveitosa, experiência ao serviço do Orobica (8 jogos e 1 golo), do qual certamente não esperava sair tão depressa. Na realidade, o que a levou a sair já foi mesmo a oportunidade, que era boa demais para ser rejeitada: “Exatamente. O Orobica foi um clube que tive imenso orgulho em representar, ajudaram-me imenso a crescer e fui extremamente feliz pelas terras italianas,” afirma a jovem lusa.

“No entanto, receber uma proposta do campeão finlandês e ter a possibilidade de jogar a Liga dos Campeões fez com que não pudesse recusar,” explica Jaleca que ao reforçar o campeão finlandês irá ter pela primeira vez a oportunidade de disputar a Liga dos Campeões no quarto país que representa numa carreira ainda curta, mas muito preenchida que ao nível dos clubes vem aumentando cada vez a qualidade e poderio. Embora não esperasse chegar tão depressa a um estatuto de ‘Champions’, a criativa considera que este feito é sem dúvida fruto do seu trabalho árduo dentro de campo e do trabalho dos seus representantes, que também salientou.

De fita na cabeça e detentora de uma orgulhosa coleção de chuteiras, Mariana Jaleca terá em agosto a possibilidade de estrear-se na Liga dos Campeões pelo Åland United

Jovem criativa protagonizou uma semana louca, iniciada em Itália e finalizada na Finlândia

“Aconteceu tudo muito depressa, por todos os clubes que passei fiz sempre de tudo para crescer. Sinto-me muito feliz por dar mais um passo importante e sei que com trabalho e resiliência as coisas boas aparecem,” exclamou, satisfeita por rumar à Finlândia que curiosamente foi, muito recentemente, adversária de Portugal na qualificação para o Euro 2022 e representa um tipo de futebol no qual espera encontrar a adaptação mais difícil entre todas as que encontrou nos países anteriores. Ainda assim, mostra-se totalmente confiante de que voltará a ter êxito.

“As adaptações nunca são fáceis, no entanto com o tempo as coisas vão ao lugar. Na Finlândia e outros países nórdicos o futebol é um pouco mais físico, mas estou pronta para aprender e usar um dos meus pontos fortes (a técnica) para marcar a diferença,” assinalou no decorrer de uma semana verdadeiramente ‘louca’: no domingo ficou selado o acordo com o Orobica para a sua transferência, viajou esta quarta-feira para Portugal e já este sábado ruma à Finlândia, onde a esperam sete dias de quarentena até poder finalmente juntar-se à equipa.

“Chego lá amanhã à noite, mas tenho de fazer quarentena”, explica esta cada vez mais conhecida ‘globetrotter’ do futebol feminino português, que terá de cumprir em casa a sua primeira semana em Åland, mas poderá integrar-se no plantel bem a tempo de realizar a estreia na Liga finlandesa, que terá lugar ante o PK-35 Vantaa no próximo dia 17 – Jaleca terá, assim, uma semana completa de trabalho com as novas companheiros de equipa, o que poderá revelar-se suficiente para que possa ser de imediato chamada a jogo, assim apresente índices físicos suficientemente elevados para o efeito.

(Foto: sfuathletics.com)

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS