Clara Moreira e a vertigem da estreia nas BB e agora nas AA: “Tem sido um rali”

A Seleção Nacional prossegue a preparação dos embates com Israel (25) e Alemanha (30) na fase de apuramento para o Mundial 2023 e Francisco Neto camou a atacante do Bordéus, Mélissa Gomes, para suprir a indisponibilidade de Telma Encarnação. O grupo é ainda reforçado este domingo por Tatiana Pinto, que esteve em representação do seu clube, o Levante.

Quem teve a palavra este sábado foi a estreante Clara Moreira, que aos 20 anos milita na segunda divisão francesa (cujas seleções jovens representou até há um mês), ao serviço do FF Yzeure, e contou ao portal da FPF como tudo se processou.

“Uma diretora da FPF abordou o meu pai pela primeira vez quando eu tinha 16 anos. Viu-me num torneio da UEFA no Algarve, a jogar pela França, e percebeu que eu tinha nome português. O tempo passou e continuaram a perguntar por mim. Em junho passado, contactaram-me para saber se tinha dupla nacionalidade e a minha resposta foi positiva. Então fizeram o convite para representar as sub-23 de Portugal [Seleção B], o que aceitei prontamente”, esclareceu, antes de prosseguir: “Está tudo a acontecer muito depressa. No mês passado, estava pela primeira vez na Seleção B e agora estou com as AA. Não estava à espera, tem sido um rali. Cabe-me trabalhar para ajudar, mostrar que tenho valor para ficar.”

Quanto às expectativas para a dupla jornada, a resposta da defesa de 20 anos foi pronta: “Em primeiro lugar, quero que os resultados coletivos sejam positivos e que Portugal fique mais perto do Mundial de 2023. Pessoalmente, quero aprender ao máximo com as jogadoras que cá estão e ajudar no que for preciso.”

Desafiada a apresentar-se, Clara Moreira não se fez rogada: “Sou muito crítica comigo mesma, e muito apaixonada por futebol, por isso dou tudo o que tenho nos treinos. Também sou forte fisicamente e boa a explorar a profundidade, com passes longos.” A jogadora esclareceu ainda ser admiradora da “qualidade das centrais francesas Wendy Renard e Gridge Mbock” e, ainda, da “personalidade” da avançada Megan Rapinoe, “sempre comprometida com a igualdade de género e a luta contra a discriminação”.

(Foto: FPF)

Deixe um comentário!

Últimas NOTÍCIAS

Caroline Kehrer vence a primeira fase

A norte-americana Caroline Kehrer foi a grande vencedora da votação para o Melhor Golo da primeira fase da Liga BPI, com 72,5% dos votos. A...

Atlético-Condeixa só em fevereiro

O jogo relativo à primeira jornada da fase de manutenção da Liga BPI entre o Atlético e o Condeixa, agendado para as 15h00 do...

Seleção em jogo para a história

Esta sexta-feira, a partir das 11h00, a Seleção Nacional mede forças com a Bélgica no Rugby Europe Women's Trophy. No Jamor, este será um...

Carlyn Baldwin assina pelo Torreense

O Torreense acertou a contratação de Carlyn Baldwin, que assinou como jogadora livre, depois de ter representado o Sporting ao longo de quatro temporadas. A...

Venha daí a fase de maior equilíbrio na Liga!

Após esta paragem para os compromissos das seleções, dá-se início à segunda fase do campeonato. Este ano, há algumas alterações que melhoram, sem dúvida,...

Águias arrancam com triunfo

No Pavilhão Municipal dos Desportos, em Lugo, o Benfica estreou-se na Women's European Champions com uma vitória sobre o Tesla Kharkiv por 4-0. Angélica...