Cloé espreita a estreia pelo Canadá

As excelentes temporadas que Cloé Lacasse tem realizado ao serviço do Benfica levaram-na a integrar pela primeira vez uma convocatória para a seleção principal do Canadá

Causava alguma estranheza verificar que uma das jogadoras mais valiosas e influentes do campeonato nacional, uma das figuras maiores do Benfica, Cloé Lacasse, não registar qualquer internacionalização no seu currículo. Uma sensação que poderá estar prestes a terminar, dado que a veloz extremo/avançada se encontra convocada para representar a seleção do Canadá, uma das seleções de maior tradição no panorama internacional.

Pode mesmo dizer-se que valeu a pena esperar para Cloé, que aos 27 anos fez por merecer a chamada com as excelentes prestações que tem realizado desde que chegou ao Benfica para estar mesmo à beira da estreia envergando a camisola do seu país e logo num setor ofensivo canadiano que, diga-se, é de luxo: a avançada do Benfica disputará agora um lugar com atletas do calibre de Janine Beckie, uma das estrelas emergentes do futebol mundial e que representa o Manchester City, ou a renomada Christine Sinclair, ‘tão-só’ uma das recordistas de golos em atividade no futebol feminino mundial.

Um momento de auge no percurso de Cloé Lacasse, que pela primeira vez integra uma convocatória da seleção feminina principal do Canadá, que dentro de pouco mais de uma semana inicia um périplo em solo europeu, nomeadamente na Grã-Bretanha, para defrontar as seleções do País de Gales, na sexta-feira dia 9, e a Inglaterra, a 13. É curiosamente nas mesmas datas em que Portugal jogará a sua presença no Euro 2022, que a equipa canadiana disputará os seus encontros particulares que visam servir de preparação para os Jogos Olímpicos Tóquio 2021, nos quais o Canadá marcará presença.

Cloé tem brilhado de encarnado e é de encarnado que continuará a jogar, agora no seu país

Mais do que um participante, o Canadá é crónico candidato às medalhas e poderá ser o cenário para a dona da camisola 20 da equipa do Benfica que há muito esperava uma chamada a representar o seu país, não tendo necessitado de, por exemplo, representar a Islândia, país do qual é detentora de passaporte em função de nesse país ter residido a sua porta de entrada no futebol europeu e nele ter residido – e competido – durante cinco anos ao serviço do IBV.

A canadiana brilhou em solo islandês e voltou a fazê-lo em Lisboa, onde é elemento fundamental para Filipa Patão e inclusivamente envergou a braçadeira de capitã no último encontro disputado pelo Benfica, mais concretamente a receção ao Clube de Albergaria. De capitã a estreante, em ambos os casos Cloé irá fazê-lo de encarnado vestido, cor que têm em comum o Benfica e o seu país, no qual o trabalho que tem realizado não tem passado despercebido e acabou por resultar na concretização de um sonho que esta atleta há muito alimentava.

Bastará atentar aos números de Cloé Lacasse para se justificar em pleno esta chamada: até ao momento, em 2020/21, já realizou mais de 20 jogos oficiais, 23 no total sendo que destes 16 foram realizados na Liga BPI, três na Taça da Liga já conquistada pelas encarnadas, com a canadiana como melhor marcadora e assistente da competição, e quatro na Liga dos Campeões. Como resultado, são 17 os golos já marcados pelo Benfica em pouco mais de seis meses. Resta, agora, fazê-lo ao nível da sua seleção.

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS