Foco total nos três pontos

Ana Borges e Diana Gomes foram as jogadoras que procederam à antevisão do embate com Israel que a Seleção Nacional feminina de futebol tem agendado para as 18h00 de quinta-feira, a contar para a fase de qualificação para o Mundial a disputar na Austrália e Nova Zelândia em 2023. A ambição, alta, é mútua.

“O nosso foco está em ganhar a Israel e estamos a trabalhar para isso. Portugal tem muito em jogo nesta fase de qualificação, de apenas dez jornadas. Se não conquistarmos os três pontos frente a Israel, vai chegar a Alemanha e não nos vai servir de muito”, começou por referir a capitã do Sporting, que também reparte a braçadeira na Seleção.

“Seja como for, não nos podemos focar nisso [no facto da seleção israelita defender muito bem e ter utilizado uma linha de cinco contra a Alemanha, apesar de ainda não ter pontuado no Grupo H], nem nos resultados que tiveram anteriormente. Com a Alemanha perderam 7-0, mas também só por 1-0. Cada jogo é um jogo e elas vêm jogar contra Portugal como jogaram contra a Alemanha, dispostas a conquistar um ponto que seja”, alertou Ana Borges.

Desafiada a pronunciar-se sobre o seu papel no grupo, agora integrando o lote de capitãs, a ala completa, com 133 internacionalizações, relativizou a questão: “Somos todas importantes. O coletivo é sempre o mais forte. Não nos serve de nada pensar individualmente, porque lá dentro somos 11, mais as que estão fora e vão entrar, sempre para acrescentar.”

Quanto às possibilidades de Portugal diante da Alemanha e de, no final da fase de qualificação, conseguir o primeiro apuramento para um Mundial, Ana Borges não desarmou. “Acreditar, acreditamos sempre, senão não estaríamos aqui a fazer nada. Mas pensamos jogo a jogo e no final fazemos a contagem dos pontos. A Alemanha é uma potência, temos noção disso, mas já demonstrámos em jogos anteriores que somos capazes de derrubar seleções acima de nós [no ranking]”, rematou.

Diana Gomes no treino realizado no Estádio do Portimonense, onde Portugal defronta Israel quinta-feira

Já Diana Gomes assegurou que as jogadoras portuguesas “estão muito motivadas para dar tudo frente a Israel e ganhar”. “Seria bom repetir o resultado de Telavive [vitória por 4-0]. Ou até marcarmos mais golos”, atirou a central do Braga.

 “Sinto que estou a atravessar a minha melhor fase. Agora é continuar a trabalhar para evoluir cada vez mais”, apontou a jogadora de 23 anos, que afiançou estar “sempre disponível para ajudar a equipa em qualquer cenário”.

(Foto: FPF)

Deixe um comentário!

Últimas NOTÍCIAS

Caroline Kehrer vence a primeira fase

A norte-americana Caroline Kehrer foi a grande vencedora da votação para o Melhor Golo da primeira fase da Liga BPI, com 72,5% dos votos. A...

Atlético-Condeixa só em fevereiro

O jogo relativo à primeira jornada da fase de manutenção da Liga BPI entre o Atlético e o Condeixa, agendado para as 15h00 do...

Seleção em jogo para a história

Esta sexta-feira, a partir das 11h00, a Seleção Nacional mede forças com a Bélgica no Rugby Europe Women's Trophy. No Jamor, este será um...

Carlyn Baldwin assina pelo Torreense

O Torreense acertou a contratação de Carlyn Baldwin, que assinou como jogadora livre, depois de ter representado o Sporting ao longo de quatro temporadas. A...

Venha daí a fase de maior equilíbrio na Liga!

Após esta paragem para os compromissos das seleções, dá-se início à segunda fase do campeonato. Este ano, há algumas alterações que melhoram, sem dúvida,...

Águias arrancam com triunfo

No Pavilhão Municipal dos Desportos, em Lugo, o Benfica estreou-se na Women's European Champions com uma vitória sobre o Tesla Kharkiv por 4-0. Angélica...