Um lançamento e quatro recordes para Auriol

A lançadora do peso Auriol Dongmo, atleta naturalizada de origem camaronesa que compete por Portugal desde há um ano, venceu o meeting de Karsluhe no qual estabeleceu, de uma assentada, quatro recordes pessoais e internacionais

Por vezes, basta um só momento para arrecadar recordes. Quatro de uma assentada, na realidade, para Auriol Dongmo, atleta portuguesa naturalizada que constituiu uma das maiores figuras do meeting de Karlsruhe, realizado esta sexta-feira nessa cidade na Alemanha e no qual venceu a prova do lançamento do peso alcançando em simultâneo a melhor marca de toda a sua carreira, o recorde nacional português e a marca máxima alcançada até ao momento em 2021, sendo que para vencer a competição…nem sequer necessitava de o fazer.

Só o seu primeiro lançamento no concurso, que atingiu 18,81 metros de distância, seria o suficiente para que Auriol Dongmo conseguisse vencer a prova, o tradicional meeting de Karlsruhe, na Alemanha, mas com os restantes lançamentos pela frente a uma prova que impressionou pelo elevado nível de praticamente todas as concorrentes a portuguesa Auriol Dongmo manteve a bitola tão elevada que ‘rebentaria’ mesmo a escala ao ter logo na segunda tentativa batido quatro recordes de uma só vez quando lançou o peso a impressionantes 19,65 metros.

A partir de lançamento se bateram quatro recordes. Ei-los: recorde nacional em Portugal, que já estava na sua posse mas com menos três centímetros; novo máximo pessoal, tanto enquanto camaronesa como a partir do momento em que passou a competir com as cores portuguesas; recorde do meeting de Karsluhe, que havia sido estabelecido pela alemã Christina Schwanitz, que antes havia conseguido 18,41 metros; por fim, este lançamento de Auriol Dongmo constituiu a melhor marca do ano neste setor do atletismo internacional.

Lançadora portuguesa bateu quatro recordes… e até o fez por duas vezes no mesmo concurso


Esse registo, tal como o recorde do meeting, pertenciam à Schwanitz, que ainda recentemente estabeleceu um lançamento de 19,11 metros e desta feita não conseguiu resistir ao poderio exibido pela atleta lusa que, recorde-se, representa uma importante história de gratidão ao país que lhe garantiu a oportunidade de continuar a competir com condições superiores às que detinha no seu país de origem e dessa forma solicitou a nacionalidade portuguesa dois anos depois da sua chegada, passando a representar Portugal há pouco mais de um ano, desde janeiro de 2020.

A prova de sonho da camaronesa naturalizada portuguesa não se ficou por aqui uma vez que depois de ter rubricado o lançamento vencedor/recordista a atleta ainda conseguiu mais duas tentativas acima dos 19 metros sendo que a primeira das duas, de 19,14 metros, também permitiria estabelecer todos os recordes anteriormente referidos. Pouco depois, Auriol lançou a 19,03 metros e deixou patente a diferença para toda a concorrência. Refira-se, como importante acréscimo, que a segunda classificada, Fanny Roos, não ultrapassou os 18,64 metros apesar de este ter sido…recorde nacional da Suécia e máximo pessoal!

A importância dos resultados alcançados pelas restantes lançadoras deixa bem vincado o momento alto pela portuguesa: tal como sucedeu com a segunda classificada, também a terceira, Sophie McKenna, da Grã-Bretanha, chegou aos 18,46 metros e estabeleceu um recorde pessoal. Quanto a Auriol…arrecadou o ouro e ganhou mais uma motivação na sua preparação para os Jogos Olímpicos de 2020, que por força da pandemia transitaram para o próximo verão, sem esquecer que estará presente nos próximos Europeus de Pista Coberta, que se realizam no início deste mês de março.

Imagem: Sporting Clube de Portugal

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS

Escalões A e B do Torreense seguem a mesma estrada

Bem integrado no crescimento sustentado do futebol feminino em Portugal que se tem construído, como é necessário, a partir das bases, o Torreense pretende...

Filipa leva ao tapete com a esquerda

Foi na raça, sem desistir, que Filipa Morais recolheu um alívio da defesa do Damaiense e, indiferente à pressão das adversárias, disparou de pé...

À segunda, Catarina espera segurar a manutenção

Desde o primeiro dia de treinos na temporada, muita coisa mudou para o Gil Vicente, que não conseguiu evitar uma 1ª fase abaixo das...

O futuro a acontecer no futebol feminino

Esta época tem sido especial para aquela que é a principal competição europeia de clubes: a Liga dos Campeões feminina.  A eliminação do Lyon nos quartos de final, frente ao PSG, começou a desenhar...

Águila dá asas ao feminino na Colômbia

Na Europa, a cerveja ‘Águila’ será provavelmente conhecida por aquilo que é o seu produto: uma cerveja. Já na Colômbia, a marca é encarada...

Tatiana aconselha-se no campeão europeu

Serão poucas as jogadoras que poderão gabar-se de ter a respetiva carreira monitorizada e acompanhada pelo clube campeão europeu e menos ainda as que...