Maria João, uma sub-16 no apuramento de campeão

Com apenas 15 anos, evolui ao serviço do Clube Condeixa, tendo já defrontado as melhores equipas do panorama nacional e prossegue com passos firmes

Está tão bem integrada no grupo do Condeixa que quase passa despercebida; será esse o maior elogio que se poderá fazer a Maria João Silva, que com apenas 15 anos se estreou oficialmente já no final da primeira fase…e com toda a naturalidade, quando a fase que se seguiu se tornou mais difícil, continua a somar minutos, defrontando as melhores equipas do campeonato na fase de apuramento de campeão da Liga BPI quase como se nada fosse. “Então, eu entrei na equipa em agosto e comecei a treinar com elas,” conta Maria João quando começou o seu velocíssimo crescimento.

“Aos poucos fui-me integrando e adaptando ao facto de todas serem mais velhas, elas sempre me acolheram bem, o que me ajudou muito e em janeiro consegui fazer o meu primeiro jogo pelo Condeixa,” indica a jovem jogadora que desde janeiro até agora cumpre três meses de competição e 8 jogos realizados, tendo nos mesmos defrontado as equipas de maior poderio no panorama nacional como Benfica, Sporting, Sporting de Braga e Famalicão. Uma utilização tão frequente que Maria João não esperava dada a vincada diferença de idades.

Apesar de jovem, Maria João pretende ser encarada como qualquer outra jogadora

“Eu fui inscrita em novembro e não esperava que o treinador me utilizasse tantas vezes com apenas 15 anos. É um voto de confiança que ele põe em mim e tenho de aproveitar” logo na primeira época em que joga entre mulheres – antes, jogou na formação com rapazes representando Ansião, Sourense e Norte e Soure. “Sim, comecei por volta dos 7/8 anos a jogar futsal, cerca de três anos e depois entrei no futebol no Sourense e mais tarde no Ansião e estes anos todos sempre a jogar com rapazes,” conta. Ainda assim, o jovem prodígio do Condeixa destaca que “esta não é a minha primeira experiência com raparigas.”

Isto porque, lembra Maria João, “quando estava a jogar em Ansião era chamada para a seleção distrital da AF Leiria, onde só iam raparigas e inclusive cheguei a fazer um torneio por elas.” Desde essa altura até à primeira época a jogar entre seniores foi um instante e tal define bem Maria João como jogadora, transmitindo a mensagem de que o talento e qualidade não têm idade: “acho que sou uma jogadora com potencial, senão não estava a jogar na Liga BPI, mas tenho consciência de que ainda vou aprender muito com as minhas colegas e com os meus treinadores e um dia espero chegar mais longe,” declara.

“Costumo jogar a extremo e adoro a minha posição porque me sinto à vontade com a bola. Ou seja: posso explorar melhor a minha qualidade individual, mas se o mister me pedir para ir para a defesa eu vou sem problema nenhum,” mostrando-se taticamente versátil de uma forma invulgar tendo em conta a idade e a jogar em terrenos adiantados com… o número 4 nas costas, apesar de jogar a extremo e um motivo em especial para usar esse número Maria João nem sabe ao certo qual é: “acho que não há origem (risos)…eu sempre gostei muito do número 4.”

Apesar de ter apenas 15 anos, Maria João Silva tem evoluído ao serviço do Condeixa na fase de apuramento de campeão ante as melhores jogadoras do país. Imagem: Sporting Clube de Portugal

Prodígio do Condeixa antevê dificuldades ante o Marítimo, mas acredita na valia da equipa

“Nos meus dois últimos anos de futebol usei-o por isso pedi para ficar com ele outra vez” e é com o 4 nas costas que prosseguirá em competição numa Liga BPI, na qual as restantes equipas estão paradas devido ao play-off a disputar pela Seleção Nacional ao passo que o Condeixa tem acerto de calendário ante Marítimo deste sábado a uma semana. Um jogo que poderá constituir uma boa oportunidade para o emblema de Condeixa-a-Nova ultrapassar esse mesmo adversário ainda que jogando fora de casa: “acho que vai ser um jogo onde nós podemos ir buscar os nossos primeiros três pontos,” antevê Maria João.

Sei que vai ser difícil já que o jogo vai ser em casa delas, mas só temos de estar focadas no que estamos a fazer e podemos eventualmente levar a vitória para casa. O nosso objetivo já foi cumprido, garantir a manutenção na Liga BPI, quanto a ficarmos em 5° lugar, não é impossível, só temos de continuar a trabalhar. No entanto, não temos isso como objetivo,” completou a talentosa jogadora, ainda em idade juvenil mas nem por isso com quaisquer complexos em bater-se ante as maiores e por várias ocasiões com as craques da própria Seleção Nacional.

Imagem: Clube Condeixa – Futebol Feminino

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS