Sempre quis, ainda como jogadora, marcar presença numa final da Taça de Portugal. O mítico Jamor traz-nos esse sentimento especial, por tudo aquilo que já foi vivido dentro daquelas quatro linhas. No entanto, o destino guardou-me o Estádio Nacional para tentar fazer a diferença de outra forma.
Ter narrado o jogo entre o Belenenses SAD e o SC Braga da Liga NOS foi uma das boas surpresas do ano, apesar de me estar a preparar para esse momento há muito tempo. Entre as sombras de um 2020 negro para muitos, surgiu este sinal de esperança de que as oportunidades não devem estar aliadas a uma concepção de idade ou género. As oportunidades devem existir, caso sejam reconhecidas capacidade e competência, seja em que área for.

“Entre as sombras de um 2020 negro para muitos, surgiu este sinal de esperança de que as oportunidades não devem estar aliadas a uma concepção de idade ou género”


Acredito que, no caso do jornalismo desportivo, têm sido dados passos certos nesse sentido. A desconfiança inicial ainda não foi totalmente ultrapassada mas a inserção de cada vez mais mulheres no meio acabará por fazer com que alguns estereótipos patentes na sociedade sejam desconstruídos paulatinamente. Em 2017, a jornalista da antena 1 Cláudia Martins, realizou uma investigação que mostrou que apenas 15% do total dos jornalistas desportivos eram mulheres. Volvidos quatro anos, muitas mais têm procurado o seu lugar num mundo historicamente associado aos homens.

“A desconfiança inicial ainda não foi totalmente ultrapassada mas a inserção de cada vez mais mulheres no meio acabará por fazer com que alguns estereótipos patentes na sociedade sejam desconstruídos paulatinamente”

O desmantelamento de crenças nunca é imediato mas, tal como acontece no próprio desporto, a quebra de possíveis muros ainda erguidos é um caminho necessário e com várias picaretas tudo se torna mais fácil. Paralelamente, é peremptório que quem faz parte do meio também tenha uma palavra a dizer; que os mais de 80% ajudem e acreditem nesta mudança de paradigma para que, consequentemente, a sociedade o faça. Afinal de contas, o jornalismo serve para informar… e, se me permitem, igualmente para educar.

A narração do Belenenses SAD x SC Braga foi mais uma grande conquista na minha carreira mas espero que tenha sido também uma conquista para todas as mulheres que trabalham diariamente para alcançar as suas metas.

Imagem: FPF

Rita Latas

Deixe um comentário!