Sónia Ferreira divide-se por três na Académica

Capitã da equipa de futsal, é ainda treinadora e coordenadora

Sónia Ferreira chegou a praticar natação, mas foi no futsal que construiu carreira. Natural de Moreira de Cónegos, a capitã da Académica divide-se em multifunções: além de jogadora, é treinadora e coordenadora da Briosa.

Numa iniciativa do Moreirense, no dia internacional da Mulher, o jogo entrei solteiros e casados, que não passaria de momento de lazer, teve efeitos práticos no seu futuro. “Na outra equipa dos casados, estava uma rapariga que jogava futsal, gostou de me ver e perguntou se eu praticava e fez-me o convite para jogar na Casa do Povo de Ronfe e fiquei entusiasmada”, diz.

Sónia tinha 12/13 anos e depois de ser pedida autorização aos pais e agilizadas as deslocações, nunca mais parou.

Seguiram-se passagens por outros clubes de Guimarães, incluindo o Vitória e Sónia foi aprendendo entre jogadoras mais velhas, até chegar à Novasemente, emblema com tradição na modalidade. “Fui convidada pelo professor Manuel Almeida. Estava a tirar a licenciatura em Desporto na Universidade do Porto e fui treinar em Espinho”, sublinha. Foram sete épocas, tendo sido capitã e campeã nacional em 2015.

A equipa teve inúmeras saídas então e a convite do treinador João Filipe, seguiu para a Académica. “Estava a acabar mestrado, a dar aulas e lançou-me o desafio, sendo que já tinha trabalhado como secretária técnica na Novasemente também e fiquei como coordenadora”.

Sónia com a equipa técnica dos estudantes

Há seis épocas em Coimbra, está plenamente identificada e tem dificuldades para eleger em qual das funções se sente melhor. “Na minha cabeça são 3 Sónias diferentes. Por exemplo, por vezes estou a treinar e vem alguém e diz-me ‘no fim de semana, não achas que…’ e eu digo ‘calma, no final do treino falas com a coordenadora. Deixa-me em paz’. Claro que digo isso na brincadeira, mas acontece”, refere.

“Adoro treinar formação, faço-o há vários anos e crio uma ligação muito forte com os meus atletas, que criaram o hábito de ver jogos os treinadoras, porque há mais jogadoras a treinarem a formação”, refere Sónia.

“A parte da coordenação surge mais oficialmente este ano. Gosto de coordenar a minha equipa de treinadores, que estão quase todos desde o início do projeto e sempre tivemos uma relação de amizade. É muito fácil trabalhar, com todas as partilhas e conhecimentos e aprendizagem mútuas”, completa.

Camisola 7, Sónia é a capitã da Académica

Com a competição suspensa, devido à pandemia, Sónia quer acreditar que o campeonato da II divisão será retomado. Para já, os treinos acontecem via zoom.

“Não faltam assim tantos jogos quanto isso, a competição na II divisão é muito curta”, refere, sobre a Briosa, que perdeu o único jogo disputado da segunda fase.

“ A nível institucional, ninguém nos pede a subida e o grande objetivo seria a manutenção. Mas com qualidade que temos e ambiciosas como somos, queremos muito subir. Muita gente nos concede favoritismo, mas como o mister diz, dentro da quadra é que se resolve”, vinca.

A concretizar-se a subida, seria a estreia da Académica na I divisão.

Fotos: AAC

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS