Sorteio ditou Alemanha e um sonho Mundial

Foi realizado, ao final da manhã desta sexta-feira em Nyon (Suíça), o sorteio da fase de qualificação para o Mundial 2023 em futebol feminino, que como é tradicional se desenrolará a partir de uma disputa por grupos. Os mesmos ficaram conhecidos num sorteio recorde, dado nunca antes tantas federações se encontraram representadas numa fase de qualificação europeia feminina e as mesmas tiveram de ser divididas em potes de 1 a 5, cada um contendo nove países, e ainda um Pote 6, no qual se inseriam as restantes seis equipas de menor ranking.

Por regras de sorteio, estas nações foram colocadas em posições entre os Grupos D a I e decorreu por ordem decrescente, a partir do Pote 1 até, finalmente, se chegar ao Pote 6. Desta forma, Portugal, que pela primeira vez integrou o Pote 2 juntamente com Bélgica, Suíça, Áustria, Islândia, Escócia, Rússia, Finlândia e País de Gales e desta forma esperava apenas um adversário melhor ‘rankeado’ entre Países Baixos, Alemanha, Inglaterra, França, Suécia, Espanha, Noruega, Itália e Dinamarca – ditou o sorteio que o ‘tubarão’ de Portugal fosse mesmo a ‘toda poderosa’ Alemanha.

‘Tão-só’ uma antiga campeã mundial, que ostenta ambições de repetir os títulos mundiais conquistados em 2003 e 2007, adversário ao qual se juntaram Sérvia, Israel, Turquia e Bulgária, formando um Grupo H perigoso, é certo, mas no qual a Seleção Nacional entrará como favorita para se qualificar para os play-offs (nos quais Portugal se tornou, diga-se, presença habitual), com data marcada para entre os dias 3 e 11 de outubro de 2022 e que será dividido em duas rondas, para as quais se apuram diretamente os melhores segundos classificados entre todos os agrupamentos.

Sorteio para o Mundial contou com um play-off inter-confederações como principal novidade

As seis seleções restantes disputarão uma primeira eliminatória jogada a apenas uma mão e juntar-se-ão às equipas anteriormente referidas num play-off igualmente a uma só mão e determinado por sorteio. A partir daí, os dois vencedores com ranking mais elevado tendo em conta o desfecho do respetivo grupo de qualificação e das duas rondas de play-off disputadas apuram-se de imediato para o Mundial. Resta ainda um lugar para o terceiro vencedor no play-off, que irá competir num histórico play-off inter-confederações, que será disputado por dez seleções e atribui mais três vagas para a fase final.

O torneio, tal como o próprio Mundial, disputar-se-á na Austrália e Nova Zelândia, as duas seleções que, por estatuto de nação organizadora, já se encontram qualificadas para o certame que receberá a partir de este apuramento 11 seleções europeias às quais se poderá juntar mais uma desde que seja esta a vencedora do play-off inter-confederações, que se disputará a três grupos, dois compostos por três equipas e um outro composto por quatro, com o ranking FIFA a ditar os cabeças-de-série. Cada grupo serve como uma fase de apuramento própria e o vencedor de cada um apura-se para o Mundial 2023.

A fase que se segue contará com a presença dos dois vencedores dos grupos a três equipas, sendo que a equipa com ranking mais elevado apura-se diretamente para a final, depois de disputar um jogo de preparação contra a Austrália ou a Nova Zelândia, aguardando pelo vencedor da meia-final a disputar entre os vencedores dos restantes dois grupos. Um ‘mini-Mundial’ que, quem sabe, poderá contar com a participação de Portugal que, nessa altura, certamente preferirá estar desde logo apurado para uma inédita participação em Mundiais…

Deixe um comentário!

spot_img
Últimas NOTÍCIAS

Escalões A e B do Torreense seguem a mesma estrada

Bem integrado no crescimento sustentado do futebol feminino em Portugal que se tem construído, como é necessário, a partir das bases, o Torreense pretende...

Filipa leva ao tapete com a esquerda

Foi na raça, sem desistir, que Filipa Morais recolheu um alívio da defesa do Damaiense e, indiferente à pressão das adversárias, disparou de pé...

À segunda, Catarina espera segurar a manutenção

Desde o primeiro dia de treinos na temporada, muita coisa mudou para o Gil Vicente, que não conseguiu evitar uma 1ª fase abaixo das...

O futuro a acontecer no futebol feminino

Esta época tem sido especial para aquela que é a principal competição europeia de clubes: a Liga dos Campeões feminina.  A eliminação do Lyon nos quartos de final, frente ao PSG, começou a desenhar...

Águila dá asas ao feminino na Colômbia

Na Europa, a cerveja ‘Águila’ será provavelmente conhecida por aquilo que é o seu produto: uma cerveja. Já na Colômbia, a marca é encarada...

Tatiana aconselha-se no campeão europeu

Serão poucas as jogadoras que poderão gabar-se de ter a respetiva carreira monitorizada e acompanhada pelo clube campeão europeu e menos ainda as que...